NOTA TÉCNICA – Conservação de condutas. Medidas a adotar em situações de erosão hídrical

António José Alçada

RESUMO

Com as alterações climáticas, há locais na Africa Austral onde a variação interanual da precipitação tem vindo a aumentar desde a década de 70 do século passado, afetando o território e consequentemente o aparecimento de zonas com ravinas, onde as infraestruturas ficam expostas e em risco de colapso. Obviamente que as causas não são apenas naturais. A falta de planeamento das Bacias Hidrográficas, os usos inapropriados do solo e desmatações sucessivas contribuem para o aumento do risco da erosão. No caso da Africa Austral, a zona Subtropical tem verificado esta situação, sendo adequado tomar medidas de minimização, de forma a não pôr em causa o serviço a prestar às comunidades. A melhor forma de prevenção é a monitorização das ravinas, sendo também adequado o recurso a medidas complementares, preferencialmente com vegetação autóctone apropriada para a estabilização de taludes. Por outro lado, na fase de conceção, é importante identificar as áreas com potencial risco de erosão, desenvolvendo o traçado em zonas consolidadas ou incluindo no projeto medidas de contenção ou minimização dos potenciais efeitos da erosão hídrica. Sobre a opção dos materiais e acessórios mais adequados, para manter a conduta em exploração, no caso de ficarem em suspensão, é essencial preverem-se juntas resistentes ao peso próprio contemplando o material e a água, bem como a flexibilidade para situações com vãos de dezenas de metros. Os casos de estudo apresentados abordam a generalidade do contexto do documento, ressalvando-se que os conceitos clássicos de resiliência, ou redundância, não são de todo aplicáveis.

Palavras passe: alterações climáticas, erosão hídrica, argila, condutas, medidas de minimização

ABSTRACT

Water Pipe Conservation. Measures to be taken in situations of water erosion

With climate change, there are places in Southern Africa where the inter-annual variation in precipitation has been increasing since the 1970s, affecting the territory and consequently the appearance of areas ravines, where the infrastructures are exposed and at risk of collapse. Obviously, the causes are not just natural. Lack of planning of river basins with inappropriate land use and successive deforestation contribute to the increased risk of erosion. In the case of Southern Africa, there is a strip between Ecuador and the Tropic of Capricorn, where this phenomenon has been detected and it is appropriate to take measures to prevent service failure to the communities. Ravine monitoring is the best preventive measure but complementary measures are also appropriate, preferably with autochthonous vegetation suitable for slope stabilization. On the other hand, it is important at the design stage to identify areas of potential erosion risk by developing the layout in consolidated zones or by including in the project measures to contain or minimize the potential effects of water erosion. Regarding the choice of the most suitable materials and accessories, to keep the pipeline in operation, if suspended, it is essential to foresee joints resistant to their own weight considering both the material and water, as well as the required pipe flexibility for free spans lengths by tens of meters. The case studies presented cover the general context of the document, stressing that the classic concepts of resilience, or redundancy, are not applicable at all.

Keywords: climate changes, clay, hydraulic erosion, pipelines, minimization measures

DOI : 10.22181/aer.2020.0805
ISSN : 2184-6049

Login

FAÇA-SE SÓCIO

 

Conheça todos os benefícios
dos nossos associados e faça parte da nossa rede!

Menu