Efeito da variação da curva de demanda na formulação da linha base em sistemas de abastecimento de água

Ana Carolina Victória da Costa Ribeiro, Aline Elisabete Lorenzini, Guilherme Santanna Castiglio, Marcelo Giulian Marques, Eder Daniel Teixeira, Maurício Dai Prá

RESUMO

Os Sistemas de Abastecimento de Água (SAA), no que se referem à atividade de captação, tratamento, e distribuição, utilizam a energia elétrica como insumo que demanda maior custo operacional. Nesse contexto, estudos que visam o melhoramento da gestão do uso eficiente de energia elétrica nos SAA são indispensáveis. O conceito de linha base energética aplicada a SAA pode ser uma ferramenta importante para gestores de companhias de saneamento nos momentos de optar pela prioridade em realizar ações de eficiência energética. Dentre os parâmetros de entrada no modelo matemático da linha base está o coeficiente máximo horário (K2), que relaciona a vazão máxima horária de uma curva de demanda de água com a vazão média no período de um dia. Este artigo apresenta um estudo de variação do K2 na formulação da linha base de um SAA real, sendo os coeficientes também determinados a partir de curvas de demanda reais de diferentes SAA localizados no Brasil. Verificou-se que existe um padrão de comportamento dos indicadores da linha base em função do K2 e que os mesmos convergem para valores característicos. Valores de indicadores sofrem alterações pouco significativas após inserção de valores do coeficiente superiores a K2 = 1,54, sendo que essa tendência pode auxiliar na busca por parâmetros ideais de operação de um SAA.

Palavras passe: coeficiente máximo horário, curva de demanda de água, linha base

 

ABSTRACT

Effect of the variation of the demand curve on the formulation of the baseline in water supply systems

The Water Supply Systems (WSSs), concerning the activities of abstraction, treatment and distribution, use the electric energy as an input which results in a higher operational cost. In this context, studies aimed at improving the management of the efficient use of electric energy in WSSs are indispensable. The energy baseline concept applied to the WSS can be an important tool for managers of sanitation companies when choosing to prioritize energy efficiency actions. The maximum hourly coefficient (K2), which relates the maximum hourly flow of a water demand curve to the average flow rate in a one-day period, is among the input parameters in the mathematical model of the baseline. This paper presents a study analysing the variation of K2 in the baseline formulation of a real WSS. In this study, the coefficients are also determined from actual demand curves of different WSSs located in Brazil. It has been found that the baseline indicators behave as a function of K2 and that they converge to characteristic values. After the insertion of coefficient values higher than K2 = 1.54, the indicators values undergo minor changes, behaviour that may help in the search for optimal operating parameters of a WSS.

Keywords: baseline, demand curve of water, maximum hourly coefficient

DOI : 10.22181/aer.2020.0706
ISSN : 2184-6049

Login

FAÇA-SE SÓCIO

 

Conheça todos os benefícios
dos nossos associados e faça parte da nossa rede!

Menu